Bate e volta em Galway com carro alugado

01.05.2018

Para o final de semana, dei a idéia de irmos até Galway, pois queria mostrar pra minha familia o encanto daquela cidadela e também a magnitude do Cliffs of Moher.

Mas para isso precisaríamos de um transfer, um motorista, um tour (que saem da O’Connell street) ou um carro alugado. Como eu sou já havia feito essa viagem antes e sabia como era, optamos pelo carro que sairia mais barato, mais prático, faríamos nosso próprio horário e pararíamos onde quiséssemos.

Na feira passei na Sixty rent a car para ver os preços dos carros e por sorte fui atendido por um brasileiro gente boníssima. Paguei 89,51 euros por um Toyota Auris manual, com quilometragem livre, seguro incluso e pegando no sábado até o 12:00 e devolvendo na segunda pela manhã com o tanque cheio.

Vale lembrar que aqui na Irlanda a direção é do lado esquerdo e que toda as estradas são na mão inglesa. #coisasDaVóLilibet

Galway fica a 186 km de Dublin, e o trajeto chega a dar sono de tão tranquilo que é. Rs. Levamos 2 horas e 30 minutos até onde nos hospedamos.

Ficamos no Kinlay Eyre Square Hostel e pagamos 125 euros a diária para 5 pessoas (3 adultos e 2 crianças).

O hostel era charmosinho, confortável e o melhor de tudo: cada cama tinha sua própria cortina, tomada, lâmpada de leitura e USB.

Chegamos, largamos as coisas no quarto e saímos para bater perna e comer alguma coisa. Andamos pra cima e pra baixo, lemos vários menus e de repente um Irish disse: “Não deixem de entrar ai no King’s Head. É o melhor pus da cidade. Vocês não vão se arrepender e se puderem, comam aqui também. A comida é fantástica!”.

É esse pub vermelho da esquerda. 🙂

Foi mais que o suficiente. Rs  – Só fazer uma ressalva aqui: o povo do interior da Irlanda é extremamente receptivo, gentil e atencioso.

Do lado de fora um pubzinho (inho), mas por dentro um pubzao (zão mesmo!). Rs

Gigante e muito irado. A parte do restaurante é incrivelmente linda e a comida sensacional. Comemos muito, rimos ainda mais e voltamos para nosso hostel com as pancinhas bem cheias e prontos para dormir.

No outro dia pela manhã acordamos cedinho, tomamos um bom e tradicional Irish breakfast e seguimos nosso caminho para o Cliffs of Moher, que fica a 77 km (1 hora e 30 min) de Galway.

Um dia lindo e gelado nos aguardava e assim que chegamos sentimos a leve (tô sendo irônico ok? Rs) brisa que já é de costume no Cliffs, fazendo a galerinha voltar no carro pra pegar os apetrechos finlandeses: manteiga de cacau, luvas, toucas, casacos… hahahah

Caminhamos um bom pedaço do Cliffs e todos ficaram encantados com a maravilha que a Mãe Natureza foi capaz de nos proporcionar.

Os Cliffs são considerados uma das maiores atrações da Irlanda e também são um dos finalistas das Sete Maravilhas do Mundo da Natureza.

Essa belíssima formação geológica com mais de 300 milhões anos se extende por mais de 8 quilômetros na costa do oceano atlântico e recebe por ano mais de 1,5 milhão de turistas.

Seu ponto mais alto fica a 214 metros de altura do mar e é onde uma pequena torre serve como observatório.

Essa torre é chamada de O’Brien Tower e foi construída em 2835 por Cornelius O’Brien, descendente do primeiro Rei da Irlanda, Brian Boru.

É um lugar deslumbrante e conhecido internacionalmente. Estima-se que na na alta temporada mais de 30 mil pares de aves vivam nas falésias, e que esses representam mais de 20 espécies. São mais de 200 hectares de terra protegidos por leis da União Européia, demonstrando a importância da natureza.

É possível percorrer os 8 km de trilha, mas nós optamos por caminhar apenas um pedaço. Vale lembrar que apenas um pedaço da trilha é calçado e quando esse pedaço acaba, grande parte (para não dizer todas) das pessoas pula a cerca e simplesmente continua no caminho de barro e pedras.

Como havia chovido no dia anterior, a lama estava fresquinha e super escorregadia. Um perigo já que o vento estava bem forte e nos jogava contra o penhasco. Então minha gente… Segurança em primeiro lugar, pelo amor de Deus! Até porque, caiu ali… já era!

O dia ideal para a visita é sem dúvida um dia ensolarado e com pouco vento, assim o medo não bate tão forte e temos o astro Rei para esquentar a parada, além de deixar o mar ainda mais lindo. Também existe a possibilidade de fazer um passeio pelo mar e ter uma outra visão do Cliffs, mas esse eu ainda não fiz. 🙁

No site oficial do Cliffs vocês encontram informações como dias de abertura, melhores épocas para visita, clima e outras informações interessantes.

Vale lembrar que o Cliffs of Moher é aberto ao público, mas logo no estacionamento é cobrado uma entrada no valor de €6 para cada adulto que tiver no carro e crianças não pagam (máximo de 4 crianças por adulto).

Esse ingresso na verdade vale para o centro de visitantes que possui um mini museu, banheiros, restaurante e loja para atender as mais variadas necessidades dos turistas, uma vez que o Cliffs fica literalmente no fim do país. Rs

Dali pegamos estrada e voltamos para Dublin, pois era hora da minha familia amada partir. 🙁

Espero que vocês tenham gostado…

Um beijo,

Doug Pelo Mundo

 

 

Tags relacionadas:

cliffs of moher, galway, ireland, irlanda, natureza, o que fazer, o que fazer na Irlanda, road trip, Bate e volta, Viajando com crianças, Cliffs, road trip pela Irlanda, alugando carro na Irlanda, conhecendo a Irlanda de carro, sixty rent a car, Kinlay Eyre Square Hostel, hostel em Galway, Galway em familia, o que fazer com crianças na Irlanda, destino com crianças, conhecendo a Irlanda, Dublin Galway, Bate e volta Dublin Galway, Hostel em familia, King's Head, pubs irlandeses, Pubs em Galway, Galway girl, interior da Irlanda, Irish Breakfast, Sete maravilhas do Mundo da Natureza, Cliffs Irlanda, O'Brien tower, Cornelius O'Brien, planet, planeta Terra, Earth, quanto custa o cliffs, como chegar no Cliffs of Moher