Tudo o que você precisa saber sobre Petra, na Jordânia

26.03.2020

Visitar Petra, na Jordânia, é uma daquelas coisas que todos precisam fazer uma vez na vida! Considerada uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, Petra é um dos destinos mais cobiçados por viajantes de todo o globo e um dos sítios arqueológicos mais visitados do mundo! Se você está planejando viajar pra lá, esse post é pra você. Reuni aqui e no youtube, dicas de quando ir, onde ficar, como chegar, o que fazer.

Preciso dizer mais alguma coisa?!

Petra vai muuuuito além do que apenas “O Tesouro” e se você estiver preparado o suficiente poderá aproveitar ao máximo seu tempo por lá. Dentre todas as dicas que você vai ler nesse artigo, as que considero mais importante para já adiantar são:

  • Acorde bem cedo para chegar logo na abertura do sitio arqueológico
  • Faça a trilha até o Monastério
  • Vista calçados e roupas confortáveis
  • Compre o passe de dois dias
  • Leve água, snacks e protetor solar
  • Esteja ciente do que é o Petra By Night
  • Esteja preparado para caminhar muito e por horas
Bora começar com um pouco da história de Petra?

Petra é um legado deixado pelos Nabateus, um povo nômade árabe que chegou na região por volta do século 3 a.C e foi por muito tempo considerada o eixo do comércio de especiarias, seda e incensos naquela região.  Foram os Natabeus que implementaram as construções em arenito, de maneira grandiosa e detalhista, no meio de cânios e rochas rosadas, construindo suas casas, templos, teatros e túmulos. É também por causa da coloração que Petra também é conhecida como “Cidade Rosada”.

Durante o domínio do império romano, o comércio dos Nabateus entrou em declínio e Petra deixou de estar nas rotas comerciais, o que fez sua economia decair ainda mais. Então, no ano 363, depois de fortes terremotos que destruíram grande parte da cidade e Petra definitivamente perdeu toda sua importância.

E da magnitude das construções. OBS: Eu to na foto tá?! Rs

Por aproximadamente 1200 anos Petra foi esquecida e considerada uma lenda, assim como Atlântida ou Tróia. Até que em 1812 foi descoberta pelo explorador suíço Johann Ludwig Burchardt, que se infiltrou entre os locais. As escavações começaram por volta de 1920 e mais ou menos na mesma época a cidade foi aberta ao turismo.

Qual a melhor época para visitar Petra?

A paisagem da Jordânia em sua maioria é bem desértica. Com isso, o clima em Petra é quase sempre seco, de extremo calor e sol nos meses de verão e de temperaturas muito baixas no inverno.

O verão é entre junho e agosto, chegando facilmente aos 40 graus. O outro extremo, o inverno, acontece entre dezembro e fevereiro, quando os índices de chuva aumentam um pouco e os termômetros chegam com frequência a temperaturas negativas.

Confesso que o sol até ajudou no clima “explorador” 😛

Para quem quer fugir das temperaturas extremas, o ideal é buscar estações intermediarias, quando o calor e o frio não são tão intensos a ponto de atrapalhar a viagem. Eu visitei Petra durante o mês de setembro e peguei temperaturas altas durante o dia e agradáveis a noite.

Quanto custa a entrada de Petra?
  • Passe de um dia: JOD 50
  • Passe de dois dias: JOD 55
  • Passe de três dias: JOD 60
Quantos dias ficar em Petra?

Petra, na Jordânia, se estende por quase 100 km quadrados de vales e montanhas desérticas. Os arqueólogos descobriram apenas 15% da antiga Petra, ou seja, 85% ainda está intocada!!! Ainda assim, acho que um dia em Petra seja uma corrida contra o tempo!

Nessa foto podemos ter uma idéia do tamanho que Petra era/é. Reparem nas diversas trilhas… É giiiiga! Detalhe que aqui temos só um pouco do caminho que percorremos para o Monastério.

Eu diria que o ideal é separar dois ou três dias inteiros para visitar Petra. Tudo vai depender do seu ritmo e de quanto tempo você vai separar para explorar o sitio.

Eu explorei por 1 dia e meio, sendo que no dia que tive completo, entrei as 7 da manhã e fui embora as 6 da tarde, exaaaausto de tanto andar. E ainda assim, senti vontade de ficar mais um dia e explorar outros lugares. Calcula-se que seriam necessários de 4 a 5 dias para conhecer todo o sítio.

Ahhhh Doug, mas eu não tenho tanto tempo para isso… Tudo bem, é possível conhecer alguns pontos principais em um dia, mas não é o suficiente para visitar tudo e muito menos aproveitar o que a cidade tem a oferecer. Isso sem contar que para visitar em um dia, você tem que ter um bom preparo e resistência física.

É cansativo? Pode ser feito por qualquer pessoa?

Sim, visitar Petra pode ser bem exaustivo pois precisamos fazer tudo caminhando. Só para chegar ao cartão postal de Petra, o Tesouro, que é o inicio da cidade, anda-se 2 km desde o Visitor Center. Isso sem mencionar o que se anda depois disso, as subidas, decidas, escadas, caminho de volta e no sol, que acompanha do inicio ao fim. Por essas razões, acredito ser necessário um certo preparo físico.

Por outro lado, existe a oferta de aluguel de burrinhos, camelos e carroças que funcionam como táxi local, mas que eu particularmente acho uma sacanagem usa-los. São super mal tratados e é bem comum vê-los tentando morder, brigando entre si e sendo espancados por seus tutores. Se você tiver o mínimo de consciência e amor no seu coração, não use-os! #NãoAExploraçãoAnimal

Imaginem que esse coitado sobe e desce INÚMERAS vezes por dia essas escadarias com gente em cima 🙁

Onde ficar em Petra

Petra, apesar do que muitos acreditam, não é uma cidade. O sítio arqueológico está localizado numa cidadezinha no oeste da Jordânia chamada de Wadi Musa, que por sua vez é uma cidade simples mas com boa rede hoteleira, diversos restaurantes e cafés. É nessa cidade que devemos ficar durante uma viagem a Petra e por conta do seu tamanho, escolher acomodação não é uma tarefa tão difícil. Decidi me hospedar beeeeem próximo ao sítio, pois assim eu poderia ir caminhando e fazer meu próprio horário sem depender de nada nem ninguém. Fiquei hospedado no Petra Palace Hotel e paguei por 2 noites 84 JOD, uma média de 99 euros, num quarto sozinho com café da manhã.

Visto e como chegar em Petra

Entrei na Jordânia por Eilat (Israel) e clicando aqui você vai ler o artigo sobre o processo de migração entre os dois países, o funcionamento do visto e as taxas de saída do país. Também é possível chegar pelo aeroporto de Amã e seguir por 4 horas na estrada ou pelo aeroporto de Aqaba e seguir por 1h30 de estrada (que é o mesmo trajeto para quem chega por Israel).

O que fazer em Petra? Quais atrações visitar?

São MUITAS e  seria impossível visitar todas no tempo que tinha. Mas vou escrever aqui as que apreciei durante a visita de 1 dia e meio.

Tumba de Obeliscos

Localizada logo na entrada, esse será seu primeiro contato com Petra. Ao entrar no complexo, já é possível observar as Tumbas de Obeliscos.

Siq

Um visual bem famoso de Petra é o caminho sinuoso e estreito de cerca de 1 km de comprimento e 80 metros de altura que nos levam até o Tesouro. Chamado de Siq, esse caminho é um cânion impressionante por onde é possível ver os canais esculpidos na pedra que serviam para levar água até a cidade.

O tesouro

Esse é, sem duvidas, o local mais famoso da cidade, mas que costuma desapontar muita gente já que não existe NADA dentro do prédio. O que vimos nas cenas de Indiana Jones era apenas um cenário feio em estúdio. Na vida real, não existe nada dentro do Tesouro e inclusive não é permitido entrar lá. Eu já tinha lido isso antes de viajar e talvez por isso a hora que vi o Tesouro pela primeira vez, foi emoção pura!

O Tesouro e seus 40 metros de altura na verdade são somente o “boas vindas” e entrada para os diversos caminhos que nos levam a uma série de outros edifícios, túmulos, templos, aquedutos, teatro, arenas bem conservadas e diversos outros monumentos.

Rua das Fachadas

A rua das Fachadas é um ponto um pouco mais discreto de Petra e parte do caminho para quem visita O Tesouro. Passe com atenção, pois é uma verdadeira viagem ao tempo dos Nabateus. A rua tem cerca de 40 tumbas e cainhas construídas numa grande parede de pedra.

Teatro

Após a rua das Fachadas, não deixe de fazer uma boa pausa – ou entrar clandestinamente como eu – para observar o incrível Teatro de arena que também é TODO esculpido em pedra.

Para ter uma noção da grandiosidade desse teatro, imaginem que ele foi construído há mais de 2 mil anos e que comportava três mil pessoas!

Após a chegada dos romanos, a construção aumentou ainda mais o seu tamanho e chegou a ter 8000 lugares! – 45 fileiras de assentos construídos na primeira metade do século  I a.C. A visita ira surpreender com toda a grandiosidade do espaço.

El Deir Monastery (O Monastério)

Durante o período Bizantino, um bispado se instalou na cidade e utilizou esse templo como catedral.

Essa é a segunda atração mais fotografada de Petra e para chegar lá é preciso subir mais 900 degraus, além do caminho para chegar até a escadaria sob um sol escaldante.

Mas todo esforço é recompensado quando nos deparamos com essa obra tão imponente construída no século III a.C, a qual podemos admirar descansando no conforto de uma charmosa lanchonete.

Tumbas Reais

São chamadas assim por serem bem maiores e se destacarem das demais na área, mas não está claro para quem essas tumbas foram originalmente construídas.

Antigo Forte

Um dos pontos mais altos de Petra, um antigo forte usado durante As Cruzadas é uma viagem ao tempo e um perfeito lugar para refletir, descansar e admirar tudo aquilo que está sob os nossos pés.

Pedras pelo caminho

Imaginem que Petra foi destruída por terremotos e que muita história se perdeu, mas se observarmos tudo com muita atenção, podemos descobrir esculturas como essa de um mercador carregando seus camelos na entrada e saída da cidade.

Petra by Night

Um dos passeios mais famosos para se fazer por Petra merece um post só pra ele, que você pode estar conferindo clicando aqui.

Trilhas

São inúmeras as trilhas que encontramos em Petra, cada uma com seus pontos de interesse. Minha dica é: chegando ao centro de visitantes de Petra, pegue um mapa gratuito oferecido em diversas línguas. Nele você encontrará todas as trilhas, pontos de interesses e informações a respeito do nível de dificuldade e duração de cada uma delas.

Também aconselho a baixar o app “visit Petra”, disponível para android e ios e onde podemos encontrar informações sobre Petra, direções, mapa, pontos de interesse, calendário de eventos, lugares próximos, dicas, fotos e muitas outras informações.

Por fim, mas não menos importante, vale lembrar que seguro viagem é essencial em uma viagem como essa, pois nunca sabemos o que pode acontecer. A Real Seguro ofereceu pra nós, 10% de desconto nos seguros. Para acessar o desconto, clique aqui.

Ufa! Acho que agora vocês já estão mais que preparados para visitar esse lugar especialíssimo que é Petra!

Um beijo,

Doug Pelo Mundo

 

Tags relacionadas:

blog de viagens, desconto, Doug Pelo Mundo, visto, youtube, Youtube Channel, Dicas de viagem, Tesouro, fronteira Israel, Seguro Viagem, Petra, Jordânia, Dicas da Jordânia, Fronteira Jordânia, O que fazer na Jordânia, Jordan, Wadi Musa, Dicas de Petra, Doug Pelo Mundo na Jordânia, O tesouro, Indiana Jones, Desconto em Petra, Visto para Jordânia, Cruzando Israel e Jordânia a pé, Dicas Petra, História de Petra, Nabateus, Cidade Rosada, Comércio em Petra, Petra Jordânia, Atlântida, Tróia, Quando ir a Petra, o que fazer em Petra, Petra pela primeira vez, Viajando para Petra, Quanto custa a entrada em Petra, Quando custa viajar pra Petra, Onde ficar em Petra, Atrações de Petra, Siq, Monastério, Tesouro Petra, Petra By Night