Intercâmbio no Egito com AIESEC

20.09.2018

Muita gente me perguntou porque escolhi o Egito e como cheguei nesse intercâmbio pela AIESEC. Então antes de começar os posts sobre os lugares que passei, vou explicar como foi tudo.

Porque o Egito?

Sempre sonhei em conhecer o Egito e tinha certeza de que quando isso acontecesse não seria apenas para visitar as pirâmides (também tenho essa certeza sobre a Índia.). É algo que não sei como explicar, apenas sinto.

Lugares assim, como Marsa Alam

Sabia que o país era muito mais do que as pirâmides e que seu povo, sua cultura e seu legado necessitavam mais que alguns dias para conhecer e entender. Por isso escolhi o intercâmbio com a AIESEC.

Como cheguei no intercâmbio pela AIESEC?

Eu particularmente não conhecia a AIESEC  e foi graças a um amigo que descobri esse intercâmbio. Em uma conversa informal ele disse que antes de ir para Dublin, tinha feito um intercâmbio para o Egito por uma organização estudantil chamada AIESEC e que tinha sido a experiência mais encantadora da sua vida.

Aquelas informações foram o suficiente para meu coração vir na boca e na hora comecei um interrogatório e peguei todos os contatos.

Na outra semana estava conversando com o responsável por uma das AIESEC’s no Egito e tirando todas as minhas dúvidas em relação ao intercâmbio e o projeto.

Aswan

O projeto chamado “Backpacking Egypt” tinha como finalidade o levantamento do turismo do Egito. Para isso, rodaríamos o Egito em 2 semanas de backpacking e mais 4 semanas no Cairo, descobrindo cada canto desse país que é o berço da civilização humana e produzindo material para redes sociais, mostrando o melhor do Egito (o que eu já faço em minhas viagens né? Ou seja, mamão com açúcar. Rs).

Luxor

Para isso precisei me candidatar a uma vaga, direto no site deles e então aguardar os próximos passos.

O primeiro deles foi a aprovação da minha candidatura, depois disso uma reunião com a AIESEC Irlanda (cidade base, já que eu estava morando em Dublin).

Nessa primeira reunião o pessoal me deu um banho de água fria e me disse para não ir, pois o projeto era desorganizado e que as coisas podiam não ser aquilo que eles estavam me oferecendo, mas que se eu quisesse, poderia continuar com o processo.

Nuweiba

Sai chatiadissimo e na hora entrei em contato com Omar, que me pediu um milhão de desculpas e prometeu que aquilo não era verdade e que era para eu confiar nele.

Fiquei muito receoso, mas resolvi ouvir mais um vez meu coração e dar continuidade na minha candidatura…

Fui aprovado e aí começaram os próximos passos:

  • pagamento de uma taxa de €500 para a AIESEC Irlanda, para que me dessem todo suporte (que infelizmente não tive) durante o processo (visto, datas, informações, reunião pré viagem (OPS), e tudo que precisaria pré viagem). Essa taxa varia de país para país ok?
  • Aplicação do visto. Brasileiros precisam de visto para entrar no Egito, e como eu passaria 6 semanas a “trabalho”, o visto também teria que ser diferente. Por isso tive que aplicar na embaixada do Egito na Irlanda por um visto de trabalho. Para viagens normais, o visto pode ser obtido direto no aeroporto.
  • Compra do Aereo e seguro internacional. É obrigatório ter um seguro viagem com cobertura de no mínimo 30.000,00.
  • Taxa de US$570,00 (taxa fixa) para a AIESEC Egito, para cobrir todas as despesas de viagem, acomodação, alimentação e passeios. O que estava incluído nesse preço? Acomodação durante as 6 semanas (4 no Cairo e 2 viajando pelo Egito), entradas dos templos (tinha um ou outro opcional), transporte durante o backpacking, passeios e 2 refeições por dia também durante o backpacking. – tudo vai estar detalhado nos posts de cada cidade.

Depois disso foi só aguardar. Longos meses de espera e estudo sobre esse país maravilhoso.

Como foi o projeto? Valeu as expectativas?

O projeto foi inacreditavelmente além das minhas expectativas. Foi disparado a melhor experiência da minha vida. Éramos 15 nacionalidades, de todo canto do mundo, descobrindo juntos aquele país incrivelmente lindo!

Abu Simbel

Rodamos literalmente o Egito inteiro, num total de 3400 km, passando por 10 cidades:

Cada lugar com sua particularidade, templos megalomaníacos, muita história, praias espetaculares, aprendendo com seu povo, entendo um pouco mais da sua cultura, sua alegria, suas tristezas… Foi encantador e especial! Isso tudo durante o verão egípcio.

Sinai

Agora que expliquei o porquê e como cheguei ao Egito, apertem os cintos e estejam preparados para se emocionar, deliciar, encantar e se apaixonar por um dos lugares mais incríveis que já passei: sejam bem vindos ao EGITO! ❤️

Um beijo,

Doug pelo Mundo.

E as famosas pirâmides

Tags relacionadas:

Doug Pelo Mundo, luxor, youtube, Egito, Egypt, AIESEC Egypt, AIESEC Egito, AIESEC Brasil, Intercambio com a AIESEC, AIESEC, Doug Pelo Mundo no Egito, Intercambio no Egito, Backpacking Egypt, Cairo, Aswan, Abu Simbel, Hurghada, Marsa Alam, Ras Sudr, Dahab, Sharm El Sheik, Nuweiba, Taba, cruzando o Egito, Viajando Pelo Egito, 10 cidades do Egito, o que fazer no Egito, Intercambio com AIESEC, Egito alem das pirâmides, o melhor do Egito, 6 semanas no Egito, Brasileiros no Egito, Egito como você nunca viu, River Nile, Rio Nilo, Egito Antigo, ancient Egypt, história do Egito