Intercâmbio no Egito com AIESEC

20.09.2018

Muita gente me perguntou porque escolhi o Egito e como cheguei nesse intercâmbio pela AIESEC. Então antes de começar os posts sobre os lugares que passei, vou explicar como foi tudo.

Porque o Egito?

Sempre sonhei em conhecer o Egito e tinha certeza de que quando isso acontecesse não seria apenas para visitar as pirâmides (também tenho essa certeza sobre a Índia.). É algo que não sei como explicar, apenas sinto.

Lugares assim, como Marsa Alam

Sabia que o país era muito mais do que as pirâmides e que seu povo, sua cultura e seu legado necessitavam mais que alguns dias para conhecer e entender. Por isso escolhi o intercâmbio com a AIESEC.

Como cheguei no intercâmbio pela AIESEC?

Eu particularmente não conhecia a AIESEC  e foi graças a um amigo que descobri esse intercâmbio. Em uma conversa informal ele disse que antes de ir para Dublin, tinha feito um intercâmbio para o Egito por uma organização estudantil chamada AIESEC e que tinha sido a experiência mais encantadora da sua vida.

Aquelas informações foram o suficiente para meu coração vir na boca e na hora comecei um interrogatório e peguei todos os contatos.

Na outra semana estava conversando com o responsável por uma das AIESEC’s no Egito e tirando todas as minhas dúvidas em relação ao intercâmbio e o projeto.

Aswan

O projeto chamado “Backpacking Egypt” tinha como finalidade o levantamento do turismo do Egito. Para isso, rodaríamos o Egito em 2 semanas de backpacking e mais 4 semanas no Cairo, descobrindo cada canto desse país que é o berço da civilização humana e produzindo material para redes sociais, mostrando o melhor do Egito (o que eu já faço em minhas viagens né? Ou seja, mamão com açúcar. Rs).

Luxor

Para isso precisei me candidatar a uma vaga, direto no site deles e então aguardar os próximos passos.

O primeiro deles foi a aprovação da minha candidatura, depois disso uma reunião com a AIESEC Irlanda (cidade base, já que eu estava morando em Dublin).

Nessa primeira reunião o pessoal me deu um banho de água fria e me disse para não ir, pois o projeto era desorganizado e que as coisas podiam não ser aquilo que eles estavam me oferecendo, mas que se eu quisesse, poderia continuar com o processo.

Nuweiba

Sai chatiadissimo e na hora entrei em contato com Omar, que me pediu um milhão de desculpas e prometeu que aquilo não era verdade e que era para eu confiar nele.

Fiquei muito receoso, mas resolvi ouvir mais um vez meu coração e dar continuidade na minha candidatura…

Fui aprovado e aí começaram os próximos passos:

  • pagamento de uma taxa de €500 para a AIESEC Irlanda, para que me dessem todo suporte (que infelizmente não tive) durante o processo (visto, datas, informações, reunião pré viagem (OPS), e tudo que precisaria pré viagem). Essa taxa varia de país para país ok?
  • Aplicação do visto. Brasileiros precisam de visto para entrar no Egito, e como eu passaria 6 semanas a “trabalho”, o visto também teria que ser diferente. Por isso tive que aplicar na embaixada do Egito na Irlanda por um visto de trabalho. Para viagens normais, o visto pode ser obtido direto no aeroporto.
  • Compra do Aereo e seguro internacional. É obrigatório ter um seguro viagem com cobertura de no mínimo 30.000,00.
  • Taxa de US$570,00 (taxa fixa) para a AIESEC Egito, para cobrir todas as despesas de viagem, acomodação, alimentação e passeios. O que estava incluído nesse preço? Acomodação durante as 6 semanas (4 no Cairo e 2 viajando pelo Egito), entradas dos templos (tinha um ou outro opcional), transporte durante o backpacking, passeios e 2 refeições por dia também durante o backpacking. – tudo vai estar detalhado nos posts de cada cidade.

Depois disso foi só aguardar. Longos meses de espera e estudo sobre esse país maravilhoso.

Como foi o projeto? Valeu as expectativas?

O projeto foi inacreditavelmente além das minhas expectativas. Foi disparado a melhor experiência da minha vida. Éramos 15 nacionalidades, de todo canto do mundo, descobrindo juntos aquele país incrivelmente lindo!

Abu Simbel

Rodamos literalmente o Egito inteiro, num total de 3400 km, passando por 10 cidades:

  • Cairo
  • Luxor
  • Aswan
  • Abul Simbel
  • Hurghada
  • Marsa Alam
  • Ras Sudr
  • Monte Sinai
  • Dahab
  • Sharm El Sheik

Cada lugar com sua particularidade, templos megalomaníacos, muita história, praias espetaculares, aprendendo com seu povo, entendo um pouco mais da sua cultura, sua alegria, suas tristezas… Foi encantador e especial! Isso tudo durante o verão egípcio.

Sinai

Agora que expliquei o porquê e como cheguei ao Egito, apertem os cintos e estejam preparados para se emocionar, deliciar, encantar e se apaixonar por um dos lugares mais incríveis que já passei: sejam bem vindos ao EGITO! ????????

Um beijo,

Doug pelo Mundo.

E as famosas pirâmides

Tags relacionadas:

Doug Pelo Mundo, luxor, youtube, Egito, Egypt, AIESEC Egypt, AIESEC Egito, AIESEC Brasil, Intercambio com a AIESEC, AIESEC, Doug Pelo Mundo no Egito, Intercambio no Egito, Backpacking Egypt, Cairo, Aswan, Abu Simbel, Hurghada, Marsa Alam, Ras Sudr, Dahab, Sharm El Sheik, Nuweiba, Taba, cruzando o Egito, Viajando Pelo Egito, 10 cidades do Egito, o que fazer no Egito, Intercambio com AIESEC, Egito alem das pirâmides, o melhor do Egito, 6 semanas no Egito, Brasileiros no Egito, Egito como você nunca viu, River Nile, Rio Nilo, Egito Antigo, ancient Egypt, história do Egito